Sigo na trilha de aprendizado sobre o que fez a cabeça da galera nas décadas 60 e 70 e a gravadora americana “Motown Records” teve papel fundamental na criação da black music, ou seja, no lançamento de canções de estilos distintos, tais como: soul, blues, pop, hip-hop, disco e até funk pesado.
Fundada pelo produtor e empresário Barry Gordy com um empréstimo feito no valor de US$ 800, a “Motown Records” gravava, produzia e lançava quase que exclusivamente artistas negros em uma época em que ainda havia segregação racial nos Estados Unidos.
Nomes e artistas do calibre de Marvin Gaye, The Supremes, Stevie Wonder, Diana Ross, The Jackson 5, Michael Jackson, Lionel Richie, Boyz II Men, The Temptations, Martha & The Vandellas, Smokey Robinson & The Miracles, entre outros fizeram parte da “Motown Records”.
Já a banda “Motown Songs” faz um resgate das canções que foram carros-chefes daquela época e sucessos desses artistas, estimulando todo mundo a cair na pista e se jogar nos passinhos. Seu repertório possui desde músicas, tais como: “My Girl”, “Black or White”, “ABC”, “I´ll be there”, “Ain´t no Montain High Enough”, “Come see about me”, “The tracks of my tears”, entre outras que integraram obras cinematográficas e musicais da Broadway como “Mudança de Hábito”.
O amor, o valor das amizades, assim como as desigualdades socioeconômicas, as injustiças, o racismo e a fuga para uma nova realidade foram cantados e integraram as letras das músicas do período com a intenção de conscientizar, inspirar, influenciar e servir de escapismo e diversão à população.
Cinco integrantes formam o grupo “Motown Songs”, entretanto quem solta a voz e manda ver diante do microfone é uma Oxigenada e o curioso é que ela não tomou um único gole de água durante o show de 1h20 de duração, além de não demostrar exaustão vocal, cantando com a naturalidade de passarinho.
E apesar do grupo ter se matado no palco para entregar uma bela performance e homenagem aos artistas de outrora, eu achei a plateia desanimada, pouco participativa e dançante. No entanto, a apresentação atraiu desde crianças,
famílias até idosos numa tarde gelada de outono para esquentar os corações de quem ali estava.
O fato é que a gravadora “Motown Records” ajudou a desenhar uma cultura e marcar musicalmente o século XX através de sons que continuam a ser acolhidos por outras gerações. Já a banda “Motown Songs” faz hoje um resgate histórico e um tributo aos músicos e artistas das décadas 60 e 70.
Vale a pena conhecer a trilha deixada pela gravadora e o caminho percorrido pelo grupo musical!
Até a próxima aventura,

Maria Oxigenada
Foto: reprodução