Uma nova temporada de desfiles agitou Paris na última semana e as grifes tiveram a oportunidade de mostrar ao público as novidades para encarar a primavera e o verão europeu com elegância, leveza, frescor e criatividade.
As altas temperaturas não são privilégios dos trópicos e são registradas em países do velho continente como a França, por isso algumas labels participantes da semana de moda francesa optaram por construírem produções práticas, confortáveis e pouco densas para as estações mais alegres do ano.
A marca Dior, por exemplo, apresentou vestidos retos, ternos secos, assim como modelagens levemente acinturadas, peças com volumes discretos e ombros no lugar. Sua extravagância ficou por conta de peças com detalhes feitos à mão, de bodies bordados, mangas e punhos com pedrarias, meias decoradas e drapês.
A grife Schiaparelli também buscou o equilíbrio de suas produções através da apresentação de bermudas ciclistas, peças com cortes retos e cores discretas como o preto e branco. No entanto, o DNA da marca foi reafirmado com capuzes, golas e chapéus enormes, com o desfile de maxi bijus, a presença de bolsas estruturadas douradas e bordados que exaltaram o brilho e o calor da maior estrela do nosso sistema.
Já a marca Chanel embarcou na proposta minimalista através de vestidos com cinturas baixas, inspirados na década de 20, além saias transparentes com caudas, saias emplumadas, fendas profundas frontais, blazers compridos e o uso de sedas e cetins naturais para a confecção de algumas peças. Destaque para o vestido de noiva visto na ocasião que parecia uma camisola com uma combinação por baixo.
Apesar disso, a Chanel também fez questão de criar looks texturizados a partir do casamento de rendas com tecidos xadrezados, mini e mídi tweeds, conjuntos marinheiros, além da distribuição de laços, bem como botões com o logo da marca e o uso de sapatos bicolores.
Enquanto isso, Valentino mostrou uma coleção arco-íris com produções vibrantes, repleta de recortes, vestidos portando capas, além de saias com caudas, peças ombro a ombro, túnicas com calças e bustiês por baixo de blazers.
Agora, o glamour tradicional da label pode ser percebido através dos volumes criados a partir de plumas, penas, camadas de tules, drapeados, pedrarias e paetês. Destaque para o terno verde brilhante e para os acessórios presentes durante o show, tais como: meias 7/8, luvas curtas e cílios postiços enormes.
E por mais difícil que seja ver similaridades estéticas, a apresentação de Glenn Martens para a marca Jean Paul Gautier me remeteu ao filme “Avatar”, pois além das modelos ostentarem tranças enormes, o estilista também vestiu seus corpos com tecidos zebrados, além de faixas de tecidos transparentes e fios soltos.
Os corseletes usados durante a primavera e verão 2022 terão decotes carecas, mangas compridas, barras assimétricas e estarão libertos das segundas peças. Já os sutiãs no formato de cone (bullet bra) que apontaram as tendências fashion de outrora da marca diminuíram seu fetichismo e estão menos presunçosos.
Na ocasião, Glenn Martens também mostrou uma série de vestidos de lã, inclusive com recortes nos ombros, e outra série de saias enormes, cortadas no godê, feitas de tafetás amassados e armadas com camadas de tules.
Mais uma vez, a semana de moda francesa cumpriu o seu papel de sinalizar às fashionistas, à imprensa especializada e aos influencers os próximos trajetos fashion, refrescando-os com tendencias e modismos compatíveis com as altas temperaturas encontradas na primavera e no verão.
Até a próxima aventura,

Maria Oxigenada