Pena que a gente não tem bola de cristal para prever as reviravoltas de um único
dia, né!? A verdade é que eu queria visualizá-las com antecedência para poder
me precaver das surpresas reservadas ou, pelo menos, fazer tentativas para
mudar o curso da narrativa das 24 horas.
Ontem, foi um desses dias em que o planejado não aconteceu! Sabem como é?
Então, depois de tomar meu café da manhã, eu parti para a academia na
intenção de treinar e equilibrar as minhas energias junto as águas cloradas.
O caldo veio depois de eu ter tomado banho e quando eu estava secando meus
cabelos no vestiário, pois inventei de acelerar o processo com o uso de dois
secadores distintos e me dei mal! Alguns fios laterais enroscaram nas hélices do
aparelho e rapidamente o ambiente foi invadido pelo cheiro de fios queimados.
A dor foi tamanha que eu achei que algo pior tivesse acontecido e eu tivesse
perdido parte do meu couro cabeludo com o puxão, mas não! Tudo estava
intacto! No entanto, eu precisei da ajuda de uma funcionária da academia para
cortar minhas madeixas rentes a cabeça, livrando-me dos nós.
Na sequência, eu não sabia se ria ou chorava com o resultado, pois a lateral do
meu cabelo ficou parecendo parte de uma floresta queimada com as
extremidades em cinzas. Saí do local direto para o cabelereiro para acertar o
estrago feito.
A única solução proposta pela minha cabelereira era adotar o corte sidecut, ou
seja, raspar a lateral com máquina. A vantagem deste tipo de corte é que ele
combina com qualquer tipo de cabelo, é moderno e prático, mas confesso que
gelei quando vi a profissional empunhando a máquina como se fosse uma arma
branca, há, há, há….
Imaginei a sensação vivenciada pelos calouros das universidades durante os
trotes sofridos e me lembrei da careca ostentada pelo Fê durante os primeiros
meses de faculdade que parecia um grão de bico. A boa notícia foi que eu não
precisei apelar para a máquina zero e a número dois resolveu o assunto.
E como já estava sentada na cadeira, pedi para que as pontas dos meus cabelos
fossem aparadas e o trauma sofrido pelos fios fosse amenizado com uma
hidratação poderosa e uma massagem capilar.
A minha esperança é que o corte oxigene as madeixas e elas cresçam
rapidamente sem a necessidade de manutenções ou adubações. Agora, o visu
ficou interessante e arrojado, pois a raiz terrosa dos meus cabelos mostrou sua
carinha e está brincando de esconde-esconde com os fios longos platinados que
cobrem toda a minha cabeça. E quando quero evidenciar a novidade e o
desmatamento capilar, basta que eu dome os fios com géis e pomadas ou
prenda-os em rabos de cavalo.
Até a próxima aventura,
Maria Oxigenada
Foto: reprodução