Das quebradas para os Jardins! Bem isso! O documentário nacional “De Rua” evidência quais são os personagens e influenciadores da moda de rua, além de mostrar como o mercado consumidor deste nicho foi construído ao longo das últimas décadas e a maneira como o streetwear tem se apropriado de espaços, inclusive de line-ups de semanas de moda e de bairros de classe média alta.
Não é de hoje que eu tenho dito para vocês que as ruas são inspiradoras e quem flana atentamente por elas absorve referências musicais (rap, funk, samba), artísticas (break, hip-hop, punk e grafite), esportivas (skate e surf) e gastronômicas (pratos recheados com saberes, memórias e uma cultura miscigenada).
Opiniões de comerciantes, influenciadores digitais, bem como o posicionamento de organizadores de eventos estão presentes nessa obra cinematográfica de 30 minutos de duração que fala sobre o crescimento e o potencial de mercado da moda de rua.
Neste primeiro episódio da série sobre a temática, nomes como: Marco Two Thousand e Pedro Padro (Guadalupe Store), Pedro Andrade (Piet), Bruno Luciano (site Notthesamo), Pérsio Tagawa (Maze Shop), Augusto Mariotti (FFW), Rodolfo Tavares são ouvidos, entretanto o espectador também toma ciência de que o nascimento do streetwear está atrelado à episódios de rebeldia e protesto dos manos e minas de outrora em relação às tendências de consumo massivas.
A junção de culturas periféricas é o que de mais interessante há nesse movimento urbano, além da presença de discursos de pertencimento e do orgulho de fazer parte de grupos sociais e comunidades que primam pela diversidade.
E para atender aos anseios e desejos da galera, algumas marcas nacionais voltaram seus esforços para o desenvolvimento de produtos e peças de roupas que facilitaram a sua identificação, como os moletons, as calças largas, os bonés, os óculos de sol e os sneakers, é claro!
Para quem não sabe, o corre da moçada apaixonada pelo asfalto é desfilar com tênis com design, com os lançamentos das estações e para isso ninguém poupa esforços para consegui-los, nem mesmo amargar horas na fila de entrada de lojas especializadas ou investir grande parte de seus salários.
A moda cotidiana também é uma forma de expressão e ela não conta com apenas uma faceta, não! Na verdade, são várias camadas, pois as ruas são ocupadas por profissionais de áreas distintas, por pessoas com personalidades e estilos de vida completamente diferentes e que de alguma maneira exteriorizam suas paixões e necessidades ao desfilar com uma peça de roupa.
O curioso de hoje é que a moda confortável da pandemia ganhou as ruas, assim como o consumo de marcas sustentáveis e coleções produzidas com baixo impacto ambiental ou feitas a partir da reutilização de tecidos, do uso de fibras, fios e tecidos feitos a partir de garrafas PET, de cascas de frutas ou de plantas.
O conteúdo de “De Rua” é substancioso, com várias texturas, cores, sabores e é uma porr* no paladar de quem curte degustar modismos ou ficar presa em tendências fashionistas.
Até a próxima aventura,
Maria Oxigenada
Serviço:
Onde assistir: através do @presspassrocks ou youtube.be/vPWe9NBp23c