E quem disse que acabou? As Olimpíadas sim, mas os Jogos Paralímpicos estão apenas começando! Então, tenham em mãos a bandeira do Brasil e comecem a torcer por nossos representantes a partir desta terça-feira e até 5 de setembro, data programada para a realização da cerimônia de encerramento do evento.
Ao todo, a delegação brasileira conta com 260 atletas (incluindo guias, calheiros, goleiros e timoneiro), sendo 164 homens e 96 mulheres, além da comissão técnica, médica e administrativa, totalizando 434 pessoas em Tóquio.
Os atletas irão disputar 20 modalidades distintas, entretanto a que conta com maior número de representantes é o atletismo com 65 atletas e 19 atletas-guias. A natação continua sendo uma das promessas na disputa pelo ouro com Daniel Dias, Carol Santiago e Phelipe Rodrigues dando tudo de si na piscina do Centro Aquático de Tóquio, mas outras modalidades esportivas como o goalball masculino, além da seleção de futebol de cinco também são esperanças de medalhas paralímpicas.
A novidade desta edição é a estreia de duas outras modalidades esportivas na competição mundial. São elas: parabadminton e parataekwondo. No entanto, a bocha continua sendo uma das poucas que consta no quadro de atividades disputadas nos jogos paralímpicos e não nas Olimpíadas.
Para quem não sabe, os atletas com deficiências são classificados em cada modalidade esportiva de acordo com o sistema de classificação funcional. Este sistema visa classificar os atletas com diferentes deficiências físicas em um mesmo perfil funcional para a competição para que não haja vantagens físicas.
Independente disso, os Jogos Paralímpicos é uma oportunidade que todos nós temos de aplaudirmos e torcermos pelas performances de atletas que superaram muitas dificuldades físicas e emocionais para estarem nos representando em uma competição mundial da magnitude desta.
Esperamos que cada vez mais os Jogos Paralímpicos e seus participantes sejam exemplos de persistência e boa vontade para a democratização das oportunidades de acesso em esferas além das esportivas.
Vai com tudo, Brasil!

Maria Oxigenada
Foto: reprodução