Rayssa Leal fez história nas Olimpíadas de Tokio! E mesmo sem ostentar asas, ela voou rumo à medalha de prata sem qualquer dificuldade. Feito e tanto para uma menina de 13 anos, nascida em Imperatriz (MA), que está iniciando sua carreira profissional e que agora acumula também o título de atleta brasileira mais jovem a conquistar uma medalha olímpica. Tá bom para vocês?
No entanto, eu quero falar sobre outra realidade e sobre Prerna (Rachel Saanchita Gupta), adolescente indiana e protagonista do filme “Uma skatista radical”. Moradora da zona rural de Rajasthan, na Índia, ela descobre o esporte sem querer e se apaixona imediatamente pela modalidade.
A película começa mostrando ao espectador a rotina da personagem com a realização de trabalhos domésticos, os cuidados com o irmão caçula, a ajuda dispensada ao pai no mercado e a fuga involuntária da escola, pois ela não tem uniforme para frequentá-la.
Tudo muda depois da chegada da jovem inglesa Jessica (Amy Maghera) ao povoado com a intenção de resgatar algumas memórias familiares e conhecer o local onde seu pai nasceu e viveu sua primeira e segunda infância.
Não demora muito para que as duas se conheçam e Jessica tome ciência sobre as dificuldades enfrentadas não só por Prerna, mas também por outras crianças para estudar. As limitações não são somente financeiras, mas de ordem cultural porque o sistema de castas é vigorante por lá e as meninas pobres são incentivadas a abandonarem a escola em prol do matrimônio precoce.
A virada narrativa da obra acontece com a entrada de outro personagem na história, ou seja, a chegada de Erick (Jonathan Readwin), amigo americano de Jessica. Ele apresenta para a molecada o skate, pois até o momento eles conheciam e brincavam apenas com carrinhos de rolemã.
Os olhos dos pequenos brilham diante da prancha com rodas e das manobras que podem ser feitas em cima dela. Pela primeira vez na vida, Prerna experimenta a sensação de liberdade e do vento batendo no rosto proporcionados pelo esporte, além do frio na barriga sentido após os primeiros voos solos com um skate.
E Jéssica vai além e presenteia as crianças do vilarejo com skates, com equipamentos protetivos, estimulando-as na adoção de um novo estilo de vida que, aliás, confronta com as tradições indianas. No entanto, os moradores locais reagem, impõem multas aos pequenos e os proíbem da prática esportiva.
Então, a segunda virada na narrativa acontece e novamente a personagem coadjuvante (Jessica) idealiza a construção de uma pista de skate para o desfrute da comunidade e para a realização de competições da modalidade esportiva.
Batendo de porta em porta, ela enfim fica frente a frente com Maharani (Waheeda Rehman), ricaça indiana que não só cede o terreno para a construção do maior parque de skate da região, como também incentiva as garotas a praticarem o esporte em pé de igualdade com os meninos.
Paralelamente, a protagonista da obra está prometida em casamento para um jovem rapaz e precisa dedicar seu tempo livre aos preparos da cerimônia que será realizada no mesmo dia do I Campeonato de Skate. Coincidência? Não. Azar mesmo!
É óbvio que não contarei o final da aventura, mas “Uma skatista radical” é um filme interessante de ser visto por vários motivos. São eles: por abordar a questão de gênero, por tocar nos preconceitos ainda sentidos pelos adeptos da modalidade, por falar sobre as tradições indianas, mas principalmente por dar asas para que toda adolescente humilde possa voar em direção a um futuro melhor, independente da profissão escolhida ou do esporte praticado.
Pela sincronia com o momento atual, pela coincidência de enredos e pela leveza da obra, eu indico o filme para toda a família!

Maria Oxigenada

P.S. O Brasil é o segundo país com mais medalhas no skate durante as Olimpíadas de Tokio. Ao todo, foram três medalhas de prata, sendo: uma de Rayssa Leal, outra de Pedro Barros e outra do skatista Kelvin Hoefler.
P. S. A pista de skate vista na película foi construída especialmente para a produção em 40 dias e ela continua sendo uma das poucas opções de diversão e entretenimento aos jovens moradores
Foto e vídeo: reproduções