– Assistindo ao filme “De volta à Itália”;
– Conferindo a peça “A bicicleta de papel”, no teatro Sérgio Cardoso;
– Lendo o livro “The Semiotics of Love”, de Marcel Danesi;
– Encantando-se com os espetáculos de dança “Árvore do Esquecimento” e “A Casa”, no Theatro Municipal de São Paulo;
– Divertindo-se com o show “Estupendo Circo di SóLadies”, no teatro Alfa;
– Flanando pela exposição “Erika Verzutti: a indisciplina da escultura”, no Masp;
– Passando o olhar pelo documentário “Elize Matsunaga: Era uma vez um crime”, na Netflix;
– Presenteando um amigx com o livro “Por uma crítica feminista: leituras transversais de escritoras brasileiras”, de Eurídice Figueiredo;
– Suspirando com a película “A última carta de amor”;
– Apostando na sobreposição colete e camisa;
– Esquentando as produções com tricot de mangas bufantes;
– Investindo em coturnos com pelos falsos de ovelha;
– Desfilando com jaquetas acolchoadas;
– Emprestando a camisa de flanela xadrezada do seu boy/girl;
– Optando por peças com decotes quadrados;
– Protegendo-se dos ventos frios com capas de chuva;
– Escurecendo as madeixas;
– Quadriculando as unhas com adesivos ou esmaltes;
– Aquecendo o esqueleto com frescobol no parque;
– Bebericando taças de vinho do Porto;
– Descobrindo os segredos do bife enrolado;
– Esquentando as noites de inverno com ensopados;
– Trocando a macarronada por polenta e molho de tomate;
– Descobrindo os sabores das frutas da estação como graviola;
– Experimentando tomar uma xícara de café verde;
– Lendo junto à lareira;
– Descansando no feriado da Revolução Constitucionalista (9 de julho).

Foto e vídeos: reproduções