Vocês sabem aquela escapadinha que todo mundo dava para tomar um cafezinho, fumar, beber um copo de água ou trocar um dedinho de prosa com os colegas entre duas aulas ou no meio do expediente de trabalho? Então, com a adoção do home-office e do ensino doméstico isso está impossível, mas a São Paulo Companhia de Dança lançou um projeto chamado “SPCD na estrada” com a intenção de transportar os espectadores para alguns cartões postais presentes em cidades do Estado de São Paulo e, com isso, nos ajudar a desopilar por alguns minutos entre as tarefas e os compromissos do dia-a-dia.
Trata-se de uma microssérie com 12 episódios ao todo, sendo que ao longo de 2021 terá um novo capítulo por mês e, até o momento, cinco episódios distintos já foram lançados com a preocupação de construir um diálogo entre a dança com as cidades escolhidas.
O primeiro deles acontece em São Paulo, na frente do Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) e foi gravado logo de manhãzinha, pois é possível identificar a neblina das primeiras horas do dia e a pouca circulação de veículos e pessoas pela Avenida Paulista, outro ponto turístico da capital.
Um fragmento do espetáculo “Odisséia Contemplativa”, de 2018, é encenado por seis bailarinos pertencentes ao corpo de baile da São Paulo Companhia de Dança e que dançam a partir de uma trilha sonora criada por André Mehmari.
Já o segundo petisco cênico é ambientado em Botucatu e conta com fragmentos do espetáculo “Ngali”, de 2016, e com apenas um casal de dançarinos rodopiando ao som de um piano e na frente de um prédio histórico local.
O terceiro capítulo da microssérie se passa na cidade de Bauru e foi gravado na sua estação de trem, um dos patrimônios históricos e culturais da cidade, que possui um estilo art déco e que era um dos pontos de partida da estrada de ferro Sorocaba.
mais dinâmica das coreografias vistas até o momento, esta conta com um pedacinho de “Melhor único dia”, de 2018, além de oito bailarinos em cena imitando trejeitos e os gestuais de passageiros de outrora.
O quarto escape se passa no centro da cidade de Araras e é uma replica de dois minutos do espetáculo “Aparições”, de 2020. No entanto, o clima deste é distinto dos demais porque vale-se da cultura popular brasileira e explora um pouquinho da lenda do bumba meu boi e de danças típicas nordestinas como o frevo.
Os seis bailarinos dançam descalços, com um figurino colado ao corpo e que remete à estética dos pierrôs de carnavais passados. Já os bois presentes em cena são feitos de retalhos de tecidos e franjas.
Agora, o quinto episódio dessa microssérie dançante é ambientado na cidade de Piracicaba e no gramado existente na frente do prédio histórico do Engenho Novo. Fragmentos do espetáculo “Mamihlapinatapai”, de 2012, é mostrado ao público através de outro casal de dançarinos que durante poucos minutos derretem e entrelaçam seus corpos numa referência à dinâmica encontrada nas relações humanas, especialmente entre homens e mulheres. Para isso, a dupla desconstrói os elementos encontradas na dança de salão e se entregam a movimentos desacelerados, orgânicos e intimistas.
O fato é que a surpresa acontece mensalmente e o mais bacana de tudo é tentar reconhecer qual será a próxima locação escolhida pela Companhia antes do início da apresentação virtual, percebendo sua beleza primária e até a decrepitude ou abandono do prédio ou locação para somente depois ver o resultado da junção de corpos e ambientes.
A boa notícia é que essa não é a única novidade lançada pela São Paulo Companhia de Dança em 2021. A outra é que a bailarina Ana Botafogo está remontando a versão do espetáculo “Les Sylphides”, criada em 1909 por Michel Fokine, para o corpo de baile local. Os ensaios já começaram e o espetáculo está previsto para estrear em junho deste ano.
Confesso que continuarei pegando carona na microssérie e estou na expectativa de conferir o trabalho de bastidores desenvolvido pela agora coreógrafa e também bailaria Ana Botafogo.
Beijos,
Maria Oxigenada

Serviço:
Onde assistir a SPCD na estrada: através das redes socias ou do Youtube da São Paulo Companhia de Dança.

Preço: grátis
Foto e video: reproduções