Desenhos em 2D, 3D e stop motion são as formas como as animações são feitas. “Se algo acontecer…te amo!” foi construído com desenhos feitos à mão e em preto e branco, entretanto o curta-metragem de 12 minutos que está concorrendo ao Oscar na categoria ainda apresenta uma cena ou outra colorida, especialmente aquelas das lembranças do casal protagonista.
A aventura é emocionante, pois ela trata do luto passado por pais após a perda violenta de sua única filha e como todo esse processo pode ser dolorido com a chegada de sentimentos distintos e a necessidade de ressignificar as memórias.
Logo nos primeiros minutos da película, o espectador observa a rotina do casal com a presença do silêncio, a falta de diálogo da dupla, além do isolamento individual de cada um deles. O clima melancólico permeia todo o filme e é reforçado com a inserção de sons em off e a presença de uma trilha sonora, como a música “King Princess”, que reforça ainda mais a mensagem de brevidade da vida e da efemeridade de momentos felizes.
Agora, o interessante da obra é que ela também projeta as sombras dos personagens em cena na tentativa de salientar ainda mais as provações e o desafios deste amor conjunto. Em vários momentos, as sombras capturam a nossa atenção, transportando-nos para junto dos dramas vividos pelos protagonistas.
Os diretores Michel Govier e Will McComark também fazem questão de dividir com o espectador flashes das memórias compartilhadas da dupla, atribuindo para alguns objetos cotidianos como bola de futebol, camiseta de algodão ou mesmo, para pratos de comida certa dimensão simbólica e elementos para o aprofundamento de memórias afetivas e para o reencontro amoroso do casal.
Outro fator de destaque do curta é que os seus diretores fazem questão de oferecer uma mensagem esperançosa e de amor a quem assiste a obra através das transformações sofridas pelos personagens principais, bem como o entendimento de que a dor da perda de um filho fará, inevitavelmente, parte de suas trajetórias, mas como eles irão seguir em frente de maneira saudável é outro capítulo dessa história.
Acho muito difícil assistir “Se algo acontecer…te amo!” e não derramar algumas lágrimas. Confesso que eu comecei a ver a película sem ler nada a seu respeito e ela conseguiu me tocar, alterar meu estado emocional e me fazer refletir sobre a fragilidade da vida humana, sobre a importância de valorizarmos pequenas conquistas e os encontros ao lado de quem a gente realmente ama.
As chances de “Se algo acontecer…te amo!” levar a estatueta dourada são pequenas porque o filme apresenta um enredo nada surpreendente, entretanto é uma película sensível, que trabalha as nuances dos sentimentos humanos e os pormenores do processo de luto.
Eu indico!

Maria Oxigenada
Foto e vídeo: reproduções