Algumas pontas ficaram soltas sobre a semana de moda francesa, por isso é necessário que seja feito o arremate final do evento para que possamos compreender quais serão os modismos para o próximo outono e inverno e quais serão as novidades fashion do período. São eles:
– Silhuetas infladas:
Tanto a marca Rick Owens Online quanto as grifes Thom Browne, Balmain e Miu Miu construíram volumes exagerados através de peças de matelassê e lamês. Destaque para o sobretudo fofo com capuz visto na apresentação da primeira label, para o vestido dourado ombro a ombro com saia enorme usado pela campeã de esqui Lindsey Vonn no desfile da Thom Browne, para as saias e jaquetas de matelassê prata com pontos de luz da Balmain e para os casacos puffer da Miu Miu.
– Seios em destaque:
Seios tricotados, riscados e à mostra voltaram à cena mesmo depois do trabalho intenso desenvolvido pelo estilista Jean Paul Gautier que ressignificou o sutiã feminino com sua versão cone ou bullet-bra usado por Madonna.
A marca Schiaparelli apresentou modelos de alfaiataria 3D em ouro. Já a label Givenchy colocou os seios femininos para jogo e não levou cartão vermelho nas redes sociais.
– Pescoção:
A terminologia é usada para identificar as horas extras de trabalho realizadas por jornalistas e profissionais da área de comunicação às sextas-feiras com o intuito de fechar as matérias que serão publicadas nos finais de semana, mas aqui a palavra surge para evidenciar esta parte do corpo feminino.
A grife Dior chamou a atenção para o colo e pescoço feminino com o uso de colarinhos e golas de pérolas, além de broches dourados. Já a marca Schiaparelli mostrou broches e pingentes com detalhes humanos.
Agora, a marca Lanvin propôs amarrar rosas nos pescoços femininos, especialmente as bordadas, coloridas e bem ao estilo “Sandra Rosa Madalena”, música de Sidney Magal que trouxe à tona a cultura cigana.
– Acabamentos:
Os acabamentos transformaram algumas peças da coleção atual das marcas. Givenchy, por exemplo, levou para frente das câmeras peças finalizadas com ilhoses e zíperes aparentes, assim como as grifes Hermès e Balmain. Enquanto isso, a label Schiaparelli utilizou botões nada discretos para atrair os holofotes para sua coleção outono e inverno.
– Extremidades protegidas:
Tanto a Dior quanto a Miu Miu (marca caçula da Prada) e a Paco Rabanne protegeram as orelhas, as cabeças e os rostos de seus modelos contra ventanias e as baixas temperaturas típicas da estação com gorros, capuzes e tocas. Destaque para os gorros de lã da Miu Miu e para o peludo da Paco Rabanne.
– Encanadas:
Já as marcas Chanel e Miu Miu se preocuparam em aquecer as pernas de suas consumidoras através de botas com seus canos feitos de pelos como se fossem polainas ou texturizados e construindo volumes para a região.
– Bolsas estruturadas:
O acessório surgiu altivo na semana de moda francesa, especialmente durante as apresentações das marcas Balmain e Louis Vuitton. A label Balmain, por exemplo, mostrou mochilas redondas, rígidas, além de malas, frasqueiras e carteiras retangulares para melhor estruturar suas produções e looks invernais.
Já a grife Louis Vuitton exaltou sua participação com a estampa característica do ateliê em carteiras e frasqueiras, bem como com a presença de mochilas recortadas no formato de rostos esculpidos em mármore.
– Vassoura natural:
Os vestidos com caudas varreram a concorrência para fora da disputada semana de moda francesa, pois para algumas marcas como a Dior esses modelos são os ideais para serem usados pelas mulheres nos próximos tapetes vermelhos ou em eventos de gala que exigem um pouco mais de produção pessoal. Destaque para o vestido tie-dye feito com camadas de tules da marca.
Foto e vídeos: reproduções