Quantas vezes nós nos pegamos torcendo para o vilão ou vilã da novela das nove? Muitas. O personagem Assane Diop (Omar Sy) da série “Lupin” não é bem um vilão, mas também não é nenhum mocinho, apesar do seu charme e carisma.
Na verdade, ele é um ladrão sofisticado, esperto e bem educado que se utiliza de disfarces para roubar joias, objetos valiosos e aplicar golpes em idosas ou ricaços. Além disso, ele é muito criativo e responsável por projetos mirabolantes.
O pato da vez é o empresário Hubert Pellegrini (Hervé Pierre) que é proprietário de um colar de pérolas que pertenceu à realeza, mas que agora será levado à leilão e com o lance inicial de milhões de euros. Antes disso, a joia permaneceu algumas semanas exposta no Museu do Louvre, em Paris.
No entanto, a peça não é novidade para o mão leve do Assane. O personagem já a conhece de longa data, desde a sua infância, pois foi ela o motivo da prisão e morte de seu próprio pai Babakar (Fargass Assande). O patriarca foi acusado de roubá-la do cofre existente na casa dos Pellegrini, onde trabalhava como motorista.
O plano de Assane é grandioso e engloba desde o surrupio da joia, como também a limpeza do nome do seu pai e a comprovação de que ele não teve nada a ver com o ocorrido no passado e que o responsável pelo sumiço do colar na época permanece impune e andando livremente pelas ruas da cidade.
A teia construída no entorno da peça é espessa, mas o protagonista da obra pode contar com a ajuda da jornalista Fabienne Beriot (Anne Benoit) para investigar o que realmente aconteceu na época e os reais motivos da família Pellegrini incriminar seu pai.
Paralelamente, os espectadores conhecem um pouco mais sobre a história de vida do personagem principal como, por exemplo, ele ser apaixonado pelos livros escritos por Maurice Leblanc no início do século XX e seguir os passos e a forma de pensar do seu principal personagem: Arsène Lupin. Ao todo, o anti-herói aparece em 17 romances e 39 contos escritos por Leblanc, além de filmes e outras séries.
As camadas de Assane engrossam quando também tomamos ciência de que ele é pai de um pré-adolescente chamado Raoul (Etan Simon) e está separado da mãe de seu filho e sua melhor amiga Claire (Ludivine Sagnier). Os dois se conheceram durante a adolescência, foram colegas de sala no colégio particular em que estudaram e até hoje são apaixonados um pelo outro.
Outras peças desse quebra-cabeça são acrescentadas aos poucos e com o decorrer dos episódios como Assane ficar cara a cara com outro leitor voraz de Leblanc, fã de Lupin e que começa a fazer conexões do que está acontecendo ao seu entorno com o universo literário. Trata-se de Youssef Guedira (Soufiane Gerrab), investigador da polícia parisiense e um dos responsáveis por desvendar o roubo do colar de pérolas.
A verdade é que a primeira temporada de “Lupin” é repleta de suspense, ação e graça porque a escalação de Omar Sy contribui para a presença de escapes e momentos cômicos na obra, especialmente porque além de seu sorriso largo, o ator também transpira a malandragem necessária para que o público torça pelo seu personagem.
A segunda temporada da série já foi gravada, mas ainda não sabemos quando ela será lançada na plataforma Netflix. Apesar disso, o ator adiantou que haverá a formação de alianças, como a do protagonista com o investigador de polícia Youssef para descobrir o paradeiro de Raoul, sequestrado no último episódio da primeira temporada por um capanga do sr. Pellegrini.
Para quem gosta de obras de suspense além dos livros de Agatha Christie ou das aventuras vividas por Robin Hood ou pelo detetive Sherlock Holmes, então a sugestão é cair de boca nessa novidade.
Vale muito a pena!

Maria Oxigenada
Foto e vídeo: reproduções