Já que este ano o Natal será discreto, então a melhor ideia no momento para entrar no clima da festa é fazer como eu e maratonar entre os filmes que aborda a temática. Outra opção é investir na decoração natalina doméstica, confeccionando enfeites para sua árvore de Natal, além de construir guirlandas, montar o presépio e perfumar os ambientes com biscoitos de gengibre.
“Crônicas de Natal 2” é a continuação do filme lançado em 2018 e traz o mesmo elenco que transformou a primeira crônica em uma película bem sucedida, mas a diferença é que Kate Piercy (Darby Cam) está naquela fase insuportável da pré-adolescência onde acha tudo e todos tedioso e chato, inclusive passar o Natal em Cancún e com o pé na areia. Afê!
A vítima atual de suas caretas e de seus olhares congelantes é Bob Brooker (Tyrese Gibson), namorado de sua mãe Claire (Kimberly Williams). No entanto, a garota precisa deixar de lado a picuinha doméstica para novamente salvar o Natal.
Desta vez, seu parceiro de aventura não é seu irmão Teddy (Judah Lewis), mas sim Jack (Jahzir Bruno), filho único de Bob. Os dois são sequestrados por Belsnickel (Julian Dennison), ex-elfo que foi expulso da vila por traição ao Noel e está em busca de vingança.
Depois que chegam ao Polo Norte, o vilão dispensa as crianças no meio da neve, porém elas são resgatadas com vida, mas desacordadas pelo Papai Noel e são levadas para a residência do bom velhinho para aquecer-se com xícaras de chocolate quente e cobertores.
Por lá, elas são surpreendidas com a presença da Mamãe Noel (Goldie Hawn), pela produção de doces e brinquedos para a ocasião e pela quantidade elevada de elfos trabalhando no local.
Rapidamente, o espectador toma ciência sobre a origem da data festiva e de como Nicolau se transformou em Papai Noel. A gente também fica sabendo os motivos da transformação de Belsnickel de elfo em ser humano e como o feitiço jogado sobre ele pode ser quebrado.
Mas a estrada é longa e a narrativa precisa ser amarrada com histórias secundárias para ganhar o brilho de uma verdadeira crônica natalina. Para isso, o roteirista e diretor Chris Columbus costura o roteiro com o roubo da estrela de Natal pelo vilão, a contaminação de centenas de elfos, a luta das renas com um felino gigante e a viagem no tempo realizada por Kate e Noel para impedir que Belsnickel destrua de vez o Natal, além da despedida oficial da menina e seu pai.
“Crônicas de Natal 2” conta com cenas dignas de musicais, outras com a presença de efeitos especiais e outras repletas de fantasias coloridas. Além disso, seu elenco não faz feio e embarca na diversão. Destaque para a atuação de Kurt Russel que construiu um Noel canastrão que dança, canta, rebola e faz caras e bocas para conquistar o público, especialmente quando cria um dueto com a cantora pop Darlene Love em pleno saguão do aeroporto.
Entretanto, o roteiro do filme possui falhas, especialmente no seu final e no desfecho simplista dado para o antagonista. Confesso que também achei piegas o ponto final dado na obra com toda a família reunida na praia soltando a voz em uma canção natalina.
“Crônicas de Natal 2” é mais uma opção neste cardápio natalino que estou apresentando para vocês nas últimas semanas. A película vale a pipoca e a reunião de toda a família em frente à televisão para assisti-la, mas a crônica original é mais genuína e encantadora!
Até a próxima aventura,

Maria Oxigenada
Foto e vídeo: reproduções