O clipe da música “Brown Skin Girl”, da Beyoncé, está repleto de tendências fashion vistas na atualidade. A obra foi lançada recentemente, é ambientada na África e faz questão de ressaltar a ancestralidade da cantora, por isso a paleta de cores trabalhada nela é terrosa, privilegiando peças marrons, beges, mas também as amarelas.
As luas das savanas africanas também foram lembradas através da presença de macacões colados com a estampa impressa. Outra print que foi vista em desfiles recentes e que marcou presença durante o clipe musical foi a florida com fundo escuro, assim como a animal print, mas na sua versão zebrada ou imitando o couro de vacas malhadas.
O xadrez pied de poule foi outro que fez uma rápida aparição durante os minutos do curta musical e em uma versão masculina de terno de alfaiataria. No entanto, as cores vivas presentes no cenário também estouraram na frente das câmeras como o rosa, o verde esmeralda, o azul bic e o dourado.
Quanto aos acessórios em cena, muitas maxi argolas e brincos compridos, turbantes e anéis ornamentando todos os dedos das mãos. Isso sem contar nas botas over the knees prateadas ostentadas pela artista e usada em conjunto com jaquetas oversized também prateada numa atitude rebelde da cantora e que faz referência as guangues de rua ainda presentes no território africano.
O orgulho de suas origens foi mais uma vez enaltecido através da presença de cabelos afro desenhados por tranças ou presos em birotes no topo das cabeças femininas, assim como algumas madeixas soltas, livre, naturais e com cachos de todos os tipos.
Outro modismo encontrado em “Brown Skin Girl” foi o uso de batons coloridos, especialmente o verde. Aliás, não só os lábios como os corpos de alguns personagens foram pintados da cor numa alusão direta às manifestações de espiritualidade e no esforço ao senso de coletividade e pertencimento do povo africano.
Destaque para o corselet verde esmeralda bordado com pedrarias usado por Beyoncé por baixo de uma mini jaqueta e em parceria com uma saia assimétrica e um turbante na cabeça. Mais girl power, impossível né!
Outro realce estético percebido foi construído com o uso de contas de búzios, especialmente na confecção de tocas de cabeça. Uma versão dourada e franjada do acessório também adornou a extremidade do corpo da protagonista da obra.
Agora, o melhor é que a música ouvida é daquele tipo chiclete, que gruda nos ouvidos e ainda dá vontade de sair dançando por aí, chacoalhando o esqueleto sem parar numa ode à animação “Viva – A vida é uma festa”.
Então, se vocês gostaram do clipe, então provavelmente também irão curtir o filme “Black is King”, versão produzida pela artista da animação “O rei leão”, onde ela faz questão de abrir o microfone para vozes negras da atualidade poderem contar suas histórias pessoais.
Isso é relevante, sim! Particularmente porque os episódios de racismo e violência contra negros e afrodescendentes continuam acontecendo não só nos Estados Unidos como em outras partes do mundo.
Foto e video: reproduções