Cumprido o calendário proposto antes da pandemia, a temporada de desfiles europeus foi encerrada com o da marca Dior na cidade de Lecce, região da Puglia, na Itália.
O evento seguiu o modismo dos últimos comentados neste espaço e criou uma apresentação pensada para o digital. No entanto, a diretora criativa da label Maria Grazia Chiuri fez questão de envolver os moradores locais para a realização do show visto na última quarta-feira, contratando alguns de seus artesãos para o feitio de bordados e a confecção das peças.
A praça central da cidade foi iluminada com luzes coloridas, inclusive o pequeno coreto existente nela e este foi palco da apresentação de uma orquestra sinfônica e de vozes afinadas. Além disso, o desfile foi acompanhado pela performance de dançarinos que rodopiaram pelo espaço e entre os modelos.
O show sobre novos começos, exatamente como os que estamos vivenciando neste momento fez questão de buscar inspirações na alegria de viver, na vida campestre e na cultura cigana, pois muitos dos looks vistos na ocasião eram discretos e construídos com vestidos de pastorinhas usados em conjunto com camisas com colarinhos fechados ou vestidos tomara-que-caia e camisas como segunda pele.
O cenário e a vida bucólica foram reforçados pelas presenças de botas baixas de cano médio, cintos grossos ou corseletes de couro marcando as cinturas femininas, assim como pantalonas jeans, coletes peludos e lenços nas cabeças para segurar e proteger as madeixas das modelos.
Isso sem contar nas transparências, nas saias rodadas com animais, flores ou motivos do campo bordados em suas barras ou casacos com golas falsas ou de pelos colorido, inseridos no desfile na tentativa de fazer referências às peles de animais usadas para esquentar as produções sem assinaturas do passado.
A festa fashion terminou em alto astral e com a apresentação de um pianista exaltando a boa vida a todos! E apesar do desfile incrível visto, eu achei que ele reuniu em um mesmo local muitos profissionais e pessoas nesse momento em que uma das recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) é para continuarmos praticando o distanciamento social até o surgimento de uma vacina ou o encontro de medicamentos eficazes contra o Coronavírus.
Com isso, a apresentação perdeu parte de seu brilho e algumas luzes de toda a sua evolução apagaram-se diante dos meus olhos, fazendo com que eu refletisse também a respeito dos propósitos desempenhados pela indústria da moda.
Beijocas,
Maria Oxigenada

P.S. A semana de moda paulistana (SPFW) foi confirmada, acontecerá em novembro de 2020 e será presencial.
Foto: reprodução