A flexibilização da quarentena está dando seus primeiros passos, entretanto para quem os dias de liberdade vigiada parecem assustadores, então a sugestão é continuar quietinha em casa e agarrada em livros e entre leituras de outras aventuras distópicas por mais algum tempo. Segue algumas sugestões de títulos para aumentar seu repertorio cultural e sua biblioteca particular. São eles:
– “Armadilhas da Identidade”, de Assad Haider;
– “Revolução das Plantas: o que as raízes e plantas podem ensinar ao ser humano”, de Stefano Mancuso;
– “A Serpente Cósmica – o DNA e a Origem do Saber ”, de Jeremy Narby;
– “Poética do Traduzir”, de Henry Meschonnic;
– “Uma Pequena Mulher”, conto de Franz Kafka;
– “O Quarto de Giovanni”, de James Baldwin;
– “A Cartomante”, conto de Machado de Assis;
– “Os Inocentes”, de Rubem Fonseca;
– “By Heart”, peça de Tiago Rodrigues;
– “Iniciantes”, de Raymond Carver;
– “Correr, Emil Zatopek”, de Jean Echenoz;
– “Zorro – começa a lenda”, de Isabel Allende;
– “Dias de Abandono”, de Elena Ferrante;
– “O Queijo e os Vermes”, de Carlo Ginzburg.
Foto: reprodução