Simpatias e amarrações não trouxeram Ana (Alba Ribas) de volta após três dias. Aliás, Marcos (Quim Gutiérrez), protagonista do filme “Te quiero, Imbécil!” nem recorreu a elas ou a qualquer outro tipo de mandinga, optando por ouvir as palavras e conselhos dados por um guru virtual (Eduardo Altero) depois do fora levado logo nos primeiros minutos da película.
É! A apresentação do personagem é feita assim, de supetão e com os espectadores acompanhando ele entrando com sua buzanfa para Ana dar aquele chutão certeiro, justo em uma noite que deveria ser especial para ambos, pois Marcos a pediu em casamento após oito anos de relacionamento amoroso.
E isso é só o inicio da degringolação geral, pois o protagonista perde seu emprego na sequencia e precisa voltar para a casa de seus pais. É lá, deitado em sua cama de solteiro que Marcos abre seus ouvidos à sabedoria popular e aos conselhos do tal guru virtual para sair da m* em que está atolado.
O primeiro movimento sugerido é dar aquele tapa no visual, comprando roupas novas, cortando os cabelos e tentando seguir o estilo de vida dos milênios com a pratica de atividades físicas frequente, o consumo de uma alimentação saudável e adoção de hábitos de bem-estar.
O segundo passo é correr atrás de um novo emprego para desfrutar de independência financeira e de um lugar para chamar de seu novamente. Paralelamente, ele parte para ação e para cima do sexo oposto como verdadeiro macho alfa, cadastrando-se em aplicativos de encontros na expectativa de exorcizar sua ex.
O que ele não contava era com o esbarrão criado pelo destino que o coloca frente a frente com sua amiga de infância Raquel (Natalia Tena). Ela o ajuda em todas as etapas descritas acima e, ainda, dá aquele alívio ao dia-a-dia do personagem masculino porque Raquel é uma mulher divertida e está disposta a acompanha-lo em bares, baladas e bebedeiras.
A verdade é que Marcos bem que estava precisando sentir o calor emanado por uma personagem solar, além de aprender a desfilar pela vida com a leveza de Raquel porque não está com nada essa historia de ficar arrastando correntes pela ex, né!?
O problema é que a diaba da Ana volta à cena e a brincar com os sentimentos do bonito, ora telefonando para Marcos para agendar um novo encontro entre lençóis, ora ignorando por completo suas chamadas e sua presença.
Bem bipolar essa garota, né!?
“Te quiero, Imbécil!” é um filme repleto de clichês, com roteiro fraco que contempla uma historia já vista anteriormente em outras obras e que contem personagens, especialmente os masculinos com atitudes machistas e incompatíveis com o esperado para o homem moderno e pertencente ao século XXI.
No entanto, a obra tem seus pontos positivos e o encontro cênico entre os atores Quim Gutiérrez e Natalia Tena é um deles, pois a química criada pelo casal pode ser sentida de longe e através da telinha. Aliás, muito do credito concedido a “Te quiero, Inbécil” é devido à presença e atuação da atriz Natalia Tena que está ótima no papel de maluquete.
Outro destaque do filme é que logo de cara seu protagonista faz um esforço para aproximar-se dos espectadores através da quebra da quarta parede existente, ou seja, através de diálogos e conversas feitas diretamente com o público e pelas lentes das câmeras.
Ah! E não dá para fazer a Katia em relação ao corpo sarado do ator Quim Gutiérrez. O que é aquilo, Oxigenadas? Não é o armário ostentado pelo ator Michele Morrone no filme “365 Dias”, mas também é uma delicinha! E daquelas proporcionais e que convidam ao “enovelamento” constante. Sabem como é?
O presente visual chegou aos poucos e depois que o ator abandonou a postura arqueada e tímida ostentada pelo seu personagem inicialmente e foi montando sua coluna, vertebra por vertebra, cena por cena e até que pudéssemos ver seu abdômen trincado em primeiro plano. Aí, sim!
Vocês perceberam que hoje eu tô sem filtros e sem papas na língua, então se bateu aquela carência típica das quarentenadas e vocês estão com os hormônios bombando, então a dica é jogar os búzios ou tirar o tarô para melhor escolher entre tantas comedias românticas ou filmes água com açúcar que foram lançados recentemente e estão disponíveis no serviço streaming e em plataformas digitais, tais como: Netflix, Now, GloboPlay, Looke, Darkflix, Mubi, entre outras.
E assim como eu, “Te quiero, Imbécil” pode ser sua escolha, pois me diverti e dei boas risadas com sua narrativa.
Beijos,

Maria Oxigenada