Eu tô assim ó, de boca aberta com o atrevimento das aves que rodeiam a minha casa. Já não é de hoje que algumas pombas resolveram fazer seus ninhos nos vasos de samambaia da vovó e não adianta desmancharmos ou trocarmos eles de lugar que elas voltam a construí-los em toque de caixa e em poucos minutos. Incrível!
Para vocês terem ideia da afronta dessas aves, algumas nem movem uma pena sequer enquanto colocamos água nas plantas diariamente. As bonitas continuam lá, paradas e aquecendo seus ovos.
O problema não é ter uma estufa particular de pombas, mas sim o que isso representa para a nossa saúde, pois como vocês bem sabem as pombas são aves transmissoras de doenças e portadoras de piolhos. Só essa me faltava, né! Vocês já imaginaram se houvesse uma invasão de piolhos nos tapetes, almofadas e cortinas daqui de casa? Acho que a mamãe enfartaria na hora, há, há, há….
Agora, quem teve taquicardia ontem fui euzinha e adivinhem quem é a responsável por isso? A própria. Ela provocou meu mal estar depois que acordei e vi que a ave tinha dado um “jateado” por toda a garagem, atingindo não só os dois carros estacionados no local como também o chão e uma das paredes da garagem.
A “mona” estava completamente choca e segurou suas necessidades até não aguentar mais e até que seus dois filhotes rompessem as cascas dos ovos. Quando voou, ela não esperou cruzar os muros residenciais e simplesmente soltou tudo o que estava acumulado em seu organismo de uma única vez, deixando um rastro de m*.
O pior foi ter que enfrentar outra live de limpeza pesada, pois eu e o papai já tínhamos lavado toda a parte externa da casa, inclusive o chão da garagem no final de semana. E como o piso local foi feito com cerâmica clara e os carros também ostentam pinturas reluzentes, então não postergamos a limpeza…
Confesso que bufei muito enquanto esfregava e dissolvia os carimbos fétidos, mas todos foram devidamente apagados das superfícies caseiras e, posteriormente, de nossas memórias recentes. Argh!
O que não dá para remover do pensamento é quando será feito o próximo ataque? Porque a verdade é que nós queremos nos preparar para o episodio cobrindo e protegendo os carros com lençóis ou capas plásticas ou mesmo criando escudos e proteções não só para as paredes da garagem, como também para o nosso equilíbrio emocional porque eu continuo chocada com a potência dos acontecimentos dessa quarentena, há, há, há…
Partiu desenvolver fraldas descartáveis para aves porque para outros pets já existem, né!?
Até a próxima aventura,
Maria Oxigenada
Foto: reprodução